segunda-feira, 22 de abril de 2013

bless the broken road (shortfic)



(n/a: coloquem pra carregar e eu aviso quando for pra dar play gatinhas bless the broken road )

Ela estava jogada em sua cama, os pés na cabeceira da cama e a cabeça um pouco pra fora da beirada da mesma a deixando de cabeça pra baixo. Lagrimas caiam de seus olhos antes brilhantes e castanhos, os cabelos antes pretos agora estavam quebrados e sem brilho algum. Demi usava apenas uma camiseta antiga e surrada que era de Joe, foi a unica peça de roupa que ele deixara ali antes de partir e ela se afundar ainda mais num buraco sem volta, pelo menos era assim que a menina pensava. Ela não via saída, não tinha escapatória, tinha magoado pessoas, dado valor a quem não merecia e simplesmente destruído sua vida sem ao menos perceber.

- burra, burra, imbecil! - Demi sussurrava pra si mesma enquanto o choro ia aumentando.

O namorado terminará com ela, o melhor amigo tinha ido embora sem ao menos dar alguma explicação. Ela estava sozinha.

6 de julho de 2005.

Demi tinha acabado de se mudar para New Jersey, seu pai fora transferido e cá estavam ela, sua mãe as duas irmãs e o pai. Era o primeiro dia da menina na escola, não conhecia absolutamente ninguém e estava mais nervosa do que nunca. Não era seu maior talento fazer novos amigos, muito menos rápido. Demi se olhou outra vez na frente do espelho, os cabelos na altura dos ombros castanho claro, apenas um batom rosado cobriam seus lábios. Uma camiseta preta da banda AC/DC uma calça jeans escuro e um all star preto nos pés. Estava ótimo. 
Dianna parou com o carro em frente ao portão da escola, deu um beijo na filha e desejou boa sorte a menina que suava frio a sua frente. Demi desceu do carro colocou a mochila nas costas, abaixou a cabeça e foi pegar os horarios. Chegou na sala e se sentou na ultima carteira encostada na parede e ficou olhando as pessoas entrarem na sala quando um menino mais alto que ela, moreno e com os cabelos jogados no rosto entrou na sala sorrindo e se sentou na carteira a frente de Demi. 

- oi, você é a Demi não é? - Ele perguntou depois de algum tempo olhando pra ela e sorrindo, o sorriso era tão grande que parecia que iria estourar a cara de anjo que ele tinha.

- hm, é..sou eu sim -ela sorriu tímida colocando o cabelo atrás da orelha, Joe ficou encantado.

- Joseph, mais pode me chamar de Joe -ele sorriu e deu um beijo na bochecha dela deixando a menina assustada e completamente corada.

Os dois conversaram a aula toda e pareciam que eram amigos a seculos, Joe estava encantado por Demi...nunca vira uma menina tão legal e parecida com ele em toda a sua pequena vida. E naquele momento...Demi sabia que tinha um melhor amigo pro resto da vida.

---

A lembrança do dia que conheceu Joe a atingiu em cheio e fez a pequena Demi soluçar mais alto ainda. Isso era terrível, doía, não se via sem Joe...Ele sempre esteve lá. E agora simplesmente ia embora, como ele fazia isso com ela? o que ela tinha feito? Não conseguia entender.

 

15 de agosto de 2006.

 
Era o segundo aniversário que Joe passava com Demi. Fazia um ano que os dois eram melhores amigos mais por ele seriam muito, muito mais. Demi arrastava Joe para dentro de sua casa pois tinha esquecido sua bolsa. Assim que abriram a porta o grito de "SURPRESA" tomou conta da sala da casa dos Lovato. Era uma festa surpresa para Joe. Demi tinha preparado isso por meses e agora estava tudo ali do jeitinho que ela planejara e sabia que ele iria amar.
A festa bombava e estava lotada certos locais da casa nem se dava pra andar. Era o melhor aniversário da vida de Joe, ainda mais porque sua pequena havia preparado tudo, quer dizer, era o melhor aniversário de sua vida até ele ver Demi e Niall -um de seus melhores amigos e que obviamente sabia seus sentimentos por Demi- aos beijos no fundo da casa. Aquilo destruiu qualquer sinal de felicidade que Joe tinha dentro de si.
Depois da festa de aniversário de Joe, Demi só falava em Niall...os olhos chegavam a quase explodir de tanto brilho. Os dois namoraram por cinco meses e Joe sempre tinha que ouvir a menina falando dele, aquilo o destruía mais ela estava feliz, então ele tinha que ficar feliz também. O pior dia foi quando os dois terminaram pois Niall iria voltar para Irlanda, sua terra. Ele era aluno de intercambio. 

- eu o amava - Demi dizia chorando no colo de Joe

- shiuuu, ta tudo bem. Você vai esquecer - Joe dizia de olhos fechados pra não chorar junto, aquilo partia seu coração duas vezes mais.

---

Ah, Niall. Demi amava aquele garoto, era tão meigo e engraçado, fora que amava comer tanto quanto Demi na epoca. A menina sorriu de um jeito triste, ainda falava com ele algumas vezes Niall estava noivo e se casaria em alguns meses, até chamou Demi para ir e a mesma aceitou. Ele era passado, um passado lindo que ela sorria ao se lembrar mais era apenas isso.

18 de fevereiro de 2008.

Joe e Demi estavam de férias no Brasil com alguns amigos, estava na época do carnaval e todos estavam completamente animados, sempre quiseram vir em um carnaval no Brasil.
Demi usava um vestidinho preto de malha fina por cima do biquíni vermelho tomara que caia, os cabelos soltos e um oculos de sol cobriam os olhos castanhos. Ela e Joe foram para a praia que estava lotada, uma musica diferente do que costumavam a ouvir tocava, as pessoas dançavam, bebiam, se pegavam e tudo que tinham direito. Joe foi pegar uma bebida no quiosque que tinha ali enquanto Demi ficou com os amigos, até um cara moreno com a barba por fazer e olhos castanhos escuros chegou com um sorriso perfeito nos lábios, Ah os homens Brasileiros. Pensou Demetria suspirando e sorrindo. O nome do cara era Wilmer, ele era alguns anos mais velho do que ela mais nada de mais, os dois conversaram de se deram super bem, no final da festa estavam se pegando e Demi pode ver Joe olhando em sua direção com uma cara de dor e tristeza mais nem ligou e voltou a beijar o moreno a sua frente.

Demi e Wilmer namoraram por um ano, o cara tinha se mudado pra Los Angeles só pra ficar perto dela, e ela não podia estar mais feliz até ela pegar ele na cama com alguma qualquer, fim de namoro, Demi magoada, Joe a consolando como sempre. Não entendia porque ela não enxergava como ele a amava? como ele seria melhor do que todos esses? era desesperador amar alguém e esse alguém não corresponde-lo.

---

Wilmer, Wilmer, ele era um canalha! Demi riu ironicamente pensando no moreno. Como ele pode engana-la daquele jeito? Não podia ter ao menos a descendia de ter dito que não a queria mais? Tinha que trair ela? ela sentia nojo ao pensar no rapaz.

07 de novembro de 2013

Demi e Joe estavam em um pub numa sexta a noite com a galera da faculdade. O local estava estupidamente cheio por conta de uma banda que iria tocar ali.
Entre bebidas, risadas e conversas ninguém percebeu quando as luzes do se apagaram e a banda subiu no pequeno palco do pub, a musica começou e Demi se virou para o palco animada, e logo em seguida com a boca escancarada.

- o vocalista é um gatinho! -exclamou a menina mordendo o lábio inferior enquanto Joe respirava fundo e revirava os olhos rezando para o maldito vocalista não dar a minima atenção a sua melhor amiga.

 
As preces de Joe não foram atendidas, pouco menos de um mês alex e demi estavam aparentemente apaixonados e namorando. Maldito seja aquele vocalista de merda! o namoro não durou menos que três semanas, alex caiu fora dizendo "estou começando minha carreira agora, não posso me prender a alguém"

---

"vá pro inferno você e sua banda maldita" pensava Demi agora. A diferença desta vez foi que Joe não estava lá pra consola-la como sempre, ele simplesmente disse que não aguentava mais e sumiu! não aguentava mais o que? Demi repetia essa pergunta a cada cinco segundos.
A menina não entendia porque tudo parecia dar errado em sua vida, vinte anos aguentando tudo dar errado e a unica coisa que lhe era certa na vida sumiu! Não era justo! a menina pensava enquanto colocava qualquer musica pra tocar no celular.

-inferno -desistiu de levantar e se jogou na cama novamente, desta vez com o rosto enfiado no travesseiro que estava impregnado o cheiro do melhor amigo que ante ontem, dividia o apartamento com ela.

(n/a: da play ai )

A menina reconheceu o começo da musica e automaticamente relaxou, adorava aquela musica. Se lembrava de todas as vezes em que ela obrigava Joe a cantar pra ela.


I set out on a narrow way, many years ago
eu parti em um caminho estreito, muitos anos atras
Hoping I would find true love along the broken road
esperando encontrar o amor verdadeiro ao longo da estrada partida
But I got lost a time or two
Mas eu me perdi uma ou duas vezes
Wiped my brow and kept pushing through
Sequei o suor e continuei em frente
I couldn't see how every sign pointed straight to you
Eu não percebia que todas as placas apontavam diretamente à você



Ironicamente aquela musica a descrevia com perfeição. Sempre sonhara em encontrar o amor verdadeiro, por isso sempre se aventurara em tantos namoros, e com certeza ela se perdeu mais de duas vezes mais ainda assim continuou seguindo em frente e quebrando a cara quantas vezes fosse preciso, só não conseguia enxergar pra que lado ou pra quem as placas indicavam.

That every long lost dream led me to where you are
Que todo longo sonho perdido me guiava para onde você está
Others who broke my heart, they were like northern stars

As outras que partiram meu coração, eram como estrelas do norte
Pointing me on my way, into your loving arms

Apontando me para o meu caminho, dentro dos seus braços amorosos
This much I know is true

Sei que isso tudo é verdade
That God blessed the broken road

Que deus abençoou a estrada partida
That led me straight to you
Que me guiou diretamente à você

Sem nem perceber seus pensamentos pairavam no melhor amigo, o conhecia a  oito anos, conhecia cada mania, cada olhar, cada gesto. Ela o conhecia melhor do que ele mesmo e vice e versa. Era sempre ele quem arrancava uma gargalhada ou um simples sorriso dela, ele que sempre lhe dava os melhores conselhos. Era Joe quem ficava com ela ate de madrugada assistindo filmes que ele nem gostava mais assistia só para deixa-la feliz, ele quem fazia as piadas idiotas, quem cuidava dela quando estava doente, que fazia de tudo pra vê-la feliz. Joe era seu proto seguro.
Não se lembrava de nenhum momento onde esteve com ele, que o coração batia mais forte, que o sorriso não estivesse presente em seu rosto de boneca, que se sentisse completa.
Era isso, a estrada partida lhe guiava até Joe!

I think about the years I spent just passing through
Eu penso sobre os anos que eu gastes apenas de passagem
I'd like to have the time I lost and give it back to you
Eu gostaria de recuperar todo o tempo que eu perdi e gastar ele com você
But you just smile and take my hand
Mas você apenas sorri e pega a minha mão
You've been there, you understand
Você esteve lá, você entende
It's all part of a grander plan, that is coming true
É tudo parte de um plano maior, que está tornando-se verdade


O coração saindo pela boca, a necessidade de ficar perto, os sorrisos bobos...Deus como ela nunca percebera? Era apaixonada pelo melhor amigo! Depois de tantos anos e só fora entender aquele sentimento agora? era um castigo, só podia! logo agora que ele sumira?

- IDIOTA!- Demi gritou furiosa, e então a conclusão de tudo chegou como se alguém lhe desse um soco no estomago- Ele...Ele, deus! -ela chorava desesperada

Joe foi embora, ele não aguentava vê-la com alguém que não fosse ele. Ele também a amava, passara todos esses anos amando-a e ela nunca viu ou o enxergou dessa forma. Agora a menina se lembrava de todas as vezes que começava um namoro e o rapaz vivia com o olhar baixo, não com aquele brilho, ou das vezes em que a consolava e ele chorava junto, chorava porque doia ver ela destruída por um idiota enquanto ele podia lhe dar todo o amor do mundo. Ele a amou por todos esses anos e ela nunca lhe deu a atenção que ele merecia. Se sentia um monstro

 
Now I'm just rollin' home, into my lovers arms
Agora estou apenas indo pra casa, dentro dos seus braços amorosos
This much I know is true
Sei que tudo isso é verdade


Ela tinha que concertar as coisas, finalmente encontrara seu caminho e ele sem duvidas a levava ate Joe. Chega de choros e musicas tristes.
Ela se enfiou num shorts jeans que tinha jogado ali pelo quarto, colocou o primeiro chinelo que viu pela frente, prendeu o cabelo num rabo de cavalo enquanto pegava o celular e as chaves do carro e desceu escada a baixo, nada ia para-la naquele momento. Ela ia acha-lo, ela estava voltando pra casa, para os braços dele.

- tia denise? -perguntou Demi ao telefone enquanto ligava o carro e saia cantando pneu.

- Demi? oh meu anjo, como você esta? - Sra Jonas perguntou toda preocupada e carinhosa como sempre

- eu vou ficar bem...se a senhora me disser pra onde seu filho foi 

- ah pequena, ele não está com você? -Denise perguntou confusa

-não -a menina respondeu triste- a gente brigou e enfim, imagina onde ele possa estar? -perguntou mais uma vez esperançosa 

-hmm...porque não tenta a praia? ele adora ir lá pra pensar -Ela pode sentir que Denise sorria e sorriu junto aliviada, porque não pensou na praia antes?

- obrigada tia! vou até lá -Demi disse animada e desligou o telefone seguindo ate a praia que era proxima ao apartamento deles

O sol já estava sumindo quando ela estacionou o carro e descer com os chinelos na mão procurando pelo melhor amigo, o qual encontrou no canto mais afastado da praia aonde não tinha ninguém. Joe estava sentado na beira do mar, agua ia e vinha e molhava seus pés.
Sem dizer uma palavra sequer, ela se sentou ao lado dele e ficou encarando os próprios pés enquanto criava coragem de dizer tudo que precisava.

- o que faz aqui dem? - Joe perguntou num sussurro baixo e rouco

-você sumiu...nem me disse o porque, acho justo eu vir atrás de você -ela deu um meio sorriso e finalmente criou coragem de olha-lo nos olhos e se arrependeu um segundo depois. Ela mal podia ver o castanho dos olhos dele, o vermelho em volta chamava atenção de mais, ele estava chorando e a culpa era dela.

-não adiantaria eu explicar, não ia fazer diferença alguma -ele deu de ombros fungando

- porque você não tenta? -ela sorriu encorajando-o

- eu te amo -ele sorriu triste

- eu também te amo 

-não Demi, eu...-o menino ia falar mas foi surpreendido pelos labios da amiga se encostando levemente nos seus

-eu sei, e eu já disse, eu também te amo! só demorei pra entender -disse baixinho com os labios roçando nos do rapaz a sua frente que sorriu a beijando de verdade, matando aos poucos o desejo que tinha de fazer aquilo a exatos oito anos - god blessed the broken road that led me straight to you -a menina cantarolou



 
THE END.


olá gatchênhas, fer aqui!
mals por ter sumido mais vocês já se acostumaram né hehe
culpa da escola, fico o dia todo na escola e nem consigo escrever nada :c mais depois de uns 100 anos eu consegui escrever essa fic aê, ta chata e tals mais eu postei só pra falar que eu não sumi, e que eu to com saudade de vocês e de ficar aqui no blog, porem, vou demorar um pouco pra postar mais eu posto um dia ta kkkkkkk tem a bia também que ta postando ai pra vocês e em breve vai ter a leticia pra postar mais coisas pra vocês estão uhu!!!   
tenho mais nada pra falar, então espero que gostem da fic, comentem, xinguém, a vontade!

se quiserem falar comigo, to no twitter: @FALLINGJONATO ou no face, FERNANDA SALES e se quiser segue o instagram também FERKINSS

beijos xuxus
love ya'll <33    









segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

I Must Be Dreaming - Parte 10

Acordei escutando vozes meio familiares e abri meus olhos mas logo os fechei por causa da luz forte que parecia vir diretamente em meus olhos.
Os abri novamente e de dessa vez consegui ver Tia Denise, Lucy, Joe e Miley me olhando com olhares preocupados.
Foquei meu olhar apenas no moreno de olhos brilhantes e castanho e senti uma terrível dor de cabeça como nunca havia sentido antes.

- Esta melhor princesa? - Denise perguntou com sua sempre doce voz.
- Minha cabeça esta explodindo - resmunguei fazendo um bico enorme.
Ela sorriu.
- Vou descer e buscar um remédio pra você ok - ela deu um beijo no topo de minha cabeça saiu do quarto.
Joe deu um meio sorriso sem mostrar os dentes e saiu do quarto junto com Tia De.

Lucy veio e pulo em minha cama fazendo minha cabeça doer.
- Ta com mais alguma coisa sem ser a dor de cabeça? - Ela perguntou talvez meio desesperada me olhando a procura de alguma coisa.
- Só isso mesmo, se acalma.
- Como você quer que ela se acalme? - Miley veio até mim e se sentou ao meu lado. - Você saiu rolando escada abaixo.
- Eu não sai rolando escada abaixo, me lembro bem o que aconteceu. - Fiz uma careta ao lembrar que também doeu.
- Faltou dois degraus quando você caiu, então praticamente rolou escada abaixo. - Ela retrucou e Lucy concordou.
- Que seja, acho que só preciso ficar sozinha por um tempo.
Me deitei novamente e fechei meus olhos como se estivesse dormindo, mas Miley e Lucy continuaram ali.
- Não vão sair né?
- Não mesmo - elas disseram juntas.
- Ta - Me sentei.
- Mas então, se você se lembra, lembra porque caiu?
- Umas coisas estranhas sabe - Me virei para Lucy - Lembra que eu te disse aquele negocio de vidas passadas? Então, eu pesquisei e fiz um negocio e tudo ficou bem estranho, e ai eu assustei, acordei e fui descer, só que - Eu estremeci - parecia que eu não conseguia andar ou que não tava conseguindo controlar meu corpo.
Miley me olhava com uma cara assustada.
- Porra, como assim?
- Não sei, é complicado - abracei minhas pernas - Foi tudo tão estranho.
Alguem bateu na porta e logo ela foi aberta. Era Nick.
Ele ia falar alguma mas abaixou a cabeça e saiu do quarto logo que viu Miley sentada ao me lado.
- O que aconteceu aqui? - Perguntei.
Ela passou a mão pelo cabelo.
- Nada, só, que eu sou estúpida.
- Estúpida? - Perguntei e olhei para Lucy que estava com a cabeça abaixada parecendo saber de alguma coisa.
- Parece que a mãe da Molly ta saindo lá da clinica.
- E?
- E se ela sair, ela vai querer a Molly, só que o Nick não vai deixar ela ficar com a Molly, então eles vão ter que ficar juntos! - Miley dizia meio desesperada.
- Ele te disse isso?
- Não, mas eu ouvi ele falar que ela vai sair. 
- Isso não quer dizer nada, certo Lucy?
Ela concordou sem animação.
- Vai dar tudo certo ta - Eu a abraçei - Mas agora preciso ir ao banheiro.
Lucy me gritou falando que iria descer com Miley, e logo eu estava sozinha novamente.

Depois de sair do banheiro e tomar o remédio que Tia Denise tinha deixado ali, comecei a procurar por alguma roupa para por quando Joe bateu na porta e chamou meu nome.
- Entra.
- Ta de roupa agora? - Ele deu um sorriso que qualquer garota considaria ser sedutor.
- Sim senhor - Eu sorri e ele entrou se jogando em minha cama.
- Joe… - Eu andei até ele e me sentei ao seu lado. - Na escola, aquela hora que eu quase cai e nós nos olhamos nos olhos, você sentiu alguma coisa diferente?
- Como assim?
- Só umas coisas, não sei como explicar direito. Você tava me encarando com uma cara estranha, pensei que tava acontecendo alguma coisa.
- Nada de diferente. - Ele me puxou pelo braço me fazendo deixar minha cabeça em sua cabeça. - O que vai fazer hoje?
- Que horas? 
- De noite, umas cinco horas.
- Cinco horas é de tarde ainda. 
- Chata, não falo mais.
Me sentei e coloquei meus braços um de cada lado da sua cabeça.
- Porque a pergunta?
Ele virou os olhos.
- Tava pensando em a gente sair.
- Pra onde?
- Qualquer lugar.
- Ta - Sorri mordendo o lábio e ele fez o mesmo.
- Ta então. - Ele foi se levantar e ficou propositadamente a apenas alguns centímetros do meu rosto.



JOE POV'S

Não é nenhum segredo que desejei Demi desde a primeira vez que a vi, e a partir de agora, tudo o que eu estou formulando na minha cabeça, vou fazer se tornar realidade.

Passo numero 1: A chamar para sair.
Passo numero 2: Saber se o beijo dela é tão bom quanto eu imagino que é.
E ela estava colaborando para isso, faltavam apenas alguns centímetros para que nossos lábios se tocassem.

- Eu te espero aqui… Ou em qualquer outro lugar da casa. - ela se distanciou de mim.
Concordei e sai do quarto.

Faltam só alguns minutos para a hora que tinha marcado para sair com Demi. 
Me olhei mais uma vez no espelho e passei minha mão pelo cabelo.
- Beleza. - Disse me olhando no espelho e fui procurar onde Demi estava.

Ela estava sentada meio esparramada no sofá da sala comendo algum doce.
- Ta pronto? - Disse perto do seu ouvindo a fazendo assustar.
- Joe, não faz isso! - Ela disse parecendo autoritária.
Eu ri.
- Vou tentar não fazer - A peguei pelo braço a tirando do sofá.
- Onde vamos?
- Segredinho - Coloquei meu braço por seus ombros e a levei até meu carro.

                            Continua......

O que sera que vai acontecer no próximo capitulo?
Eles vão namorar? :o
Demi vai ter outra visão? :o
Alguem vai vim pra estragar a felicidades deles? :o
Personagens novos? :o


AEEEEE AEEEE AEEEEEEE
não, eu não morri nem abandonei u_u
apenas um bloqueio criativo que ainda não ta afim de ir embora, e saiu isso ai u__u





   
                Bia :3














segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

I Must Be Dreaming - Parte 9


Lucy, logo saiu no meu quarto me deixando sozinha enquanto eu olhava para o nada pensando no que ela havia dito. Na verdade, acho que ela ficou brava, já que provavelmente ela havia falado algo e eu a ignorei.

Me levantei e fechei a porta - que mesmo sabendo que estava apenas de roupa íntima, Lucy a deixou aberta - E peguei meu notbook para ver se mais algum episódio das séries que eu assistia tinha saído.

- Demi… - Eu ouvi alguém me chamando.
- Sim? - eu respondi destraidamente.
- Você sabe sobre… Uou! - ele disse quando entrou em meu quarto.
- O que Joe? - Eu respondi.
Ele estava me olhando fixamente sem se mexer, como se estivesse virado pedra. Até que lembrei do meu estado.
- Meu Deus, Joseph, bata na porta! - Eu me cobri novamente, dessa vez para me esconder.
- Na verdade eu bati. - Ele disse ainda sem desviar o olhar.
- Joe! - Eu gritei e minha voz saiu mais fina do que eu esperava.
- Eu.. Eu.. - Ele apontou para o corredor e saiu. Deixando a porta aberta.
Me levantei novamente desta vez me cobrindo e fechei a porta me certificando de ter trancado.
Fiquei parada na frente do notbook e com a pagina do google aperta tentando me lembrar sobre o que ia pesquisar.

- Vidas passadas, pesquisar. 
A pagina carregou rapidamente e os resultados apareceram.
- Testes, testes, testes.. Exercícios para se lembrar da vida passada. Assustador mas é esse mesmo - eu dizia comigo mesmo enquanto pesquisava e cliquei no site.

"Fique em uma posição relaxada, deitada é melhor. Você deve algum exercício para abrir seu chakras. Depois disso, uma vez que tiver realmente relaxado, imagine que você esta ficando menor, que seu corpo esta a diminuir. Então imagine que esta do tamanho normal. E agora esta ficando cada vez maior, todo o seu corpo é apenas crescimento. Em seguida novamente ao seu tamanho normal. Cada vez que você for ficando maior ou menor, imagine que você esta indo mais e mais para esse tamanho."

- Isso é loucura. - Eu continuei a ler o texto até o final.

Procurei em mais outras paginas, mas logo desanimei vendo o que o texto era muito longo.
Procurei também no youtube e logo apareceu um documentário que provavelmente serio o que Lucy havia falado. E então eu dei play.
Uma musica daquelas que apareciam naqueles típicos filmes de fantasmas começou a tocar junto com algumas imagens.
Senti uma leve pontada na cabeça e meu coração disparou. Eu tirei o video e fechei o notbook.

- Meu Deus… - Eu cobri meu rosto com as mão esperando eu voltar ao normal.

Me levantei e fui tomar um banho para relaxar.

- Demi, querida, Esta acordada? - Denise me chamou batendo delicadamente na porta do meu quarto.
- Sim.
- Hora da janta querida.
- Já vou.

Desci até a sala de jantar onde todos já estavam sentados, inclusive Nick e Molly que haviam vindo para o  jantar.
E o único lugar que sobrou foi em frente ao Joe, que estava meio estranho e não estava me olhando diretamente.

No final do jantar, todos estávamos conversando animadamente. Eu mexia minha pernas animadamente para frente e para trás, até sentir passar meu pé pela perna de Joe.
Eu o olhei e ele me olhou pressionando o maxilar.
- Vou subir. - Ele disse saindo da sala e ninguém pareceu se importar ou perceber. Apenas por Nick que deu um risadinha leve a disfarçando com uma tossida.

- Nick! - eu pulei para a frente dele.
- Demi! - Ele levantou as mão fazendo uma quase animação.
- Como foi com Miley?
- Pergunte isso a ela - Ele abaixou a cabeça parecendo envergonhado.
- Qual é Nick, conta.
- Nós no beijamos uma vez e conversamos, você viu, tava lá. Mas não sei, não sei se vai dar alguma coisa,
- Certo, seu teimosos… Mas mudando de assunto, o que você sabe sobre Joe?
- Oi?
Eu ri fraco.
- Quando ele saiu da mesa e você riu, sobre o que era?
- Acho que você sabe.
- Sei?
- Sabe, tipo, deixar a porta destrancada e permitir a entrada de um homem em seu quarto estando apenas de langerie, pode despertar algumas coisas neles.
- Você ta querendo dizer que…
Ela confirmou com a cabeça antes que eu terminasse de falar.
- Ok… - Eu sorri forçadamente e subi para meu quarto.

Mesmo sendo cedo ainda, me deitei e sentindo o sono ficar cada vez mais forte.

E por alguns instantes, pensei em fazer o tal exercício que aquele site dizia, então me deitei, relaxei meu corpo, e tentei entrar no tal momento que texto falava.

Aquela escuridão voltou em minha mente e logo voltou.
Eu via um lindo riacho a minha frente com águas cristalinas e várias arvores em volta.
O dia estava lindo com o céu azul e sem nuvens, eu pude sentir o cheiro de suco de morango, e me virei para procurar onde estava. Um homem de cabelos castanhos escuros estava segurando um copo com o tal suco, ele se virou para mim e sorriu.
Ela tinha um sorriso conhecido e encantador.

- Monica! - Eu ouvi de longe - Monica! - A pessoa repetiu.
Me virei para ver quem era e a única coisa que vi foi o homem que estava ao meu lado se levantar e me puxa junto a ele. O homem que me gritava logo chegou perto e grudou em meu braço.
Eu não sabia o que estava acontecendo, ou porque ele me chamara de Monica.
Ele me puxou fortemente e o homem de cabelos castanhos meu soltou dizendo um "Eu te amo" e saindo de perto de mim.

Um forte estrondo me assustou e o cenário mudou para meu quarto. Ele era a estranha mistura do quarto de Londres com o quarto do Brasil, e algumas coisa que pareciam meios velhas e que eu não reconhecia.
Me levantei da cama me sentindo meio tonta e pessada ao mesmo tempo. Sai do quarto e vi a pequena Molly falando alguma coisa que eu não conseguia escutar.
Continuei andando até a a escada e podia sentir Molly vindo atras de mim me chamando. Mas eu não a via direito nem a escutava.
Desci os degraus daquela escada sentindo meus pés pesados como alguém estivesse prendido em algum lugar.
E depois a única coisa que senti foi um forte impacto e tudo ficar preto como das outras vezes. Só que sem voltar.

Escutei pessoas vindo e ficando ao meu lado. Eu os sentia me tocar e chamar meu nome, mas não conseguia me mexer.



                             Continua....





E ai pessoal~~~~~

Então, meu segundo post ~uhu~

E não sei se deu pra perceber, mas eu vou tentar sempre começar de onde eu parei. E se por acaso eu não fizer isso, esqueçam o que eu disse u_u

Comentem o que acharam, se ta bom ou não, se ta confuso sla, só comentem.

E QUANTO MAIS AMOR VOCES ME DEREM MAIS RAPIDO EU POSTO MUAHAHAHA ~~ é sério u_u


                                   Bia :3


sábado, 19 de janeiro de 2013

i must be dreaming - parte 8


DEMI POV'S



Estava andando por aquela grande escola procurando por Lucy e Ian para finalmente darmos inicio ao nosso plano.

- Lucille! - Eu gritei seu nome e pulei sentando em seu colo.
- Já disse para não me chamar assim - Lucy me mandou um olhar mortal que me deu medo.
Ian riu de Lucy e ela lançou para ele o mesmo olhar, que o fez para de rir na hora.
- Existe remédio para isso Lucy. - Eu disse calmamente e ela fez que não ouviu.
- E o plano? - Ian disse entusiasmado.
- A claro, é por isso que vim aqui. Cadê a Miley e o Nick?
- Miley quase não prestou atenção nas aulas por causa disso, ta la no auditório já, e Nick provavelmente na sala dos professores.
- Ta, eu vou buscar Nick, você fazem o resto. E já lembrando, se Nick não ficar com Miley, ela é minha - Ian deu aquele sorriso torto e sedutor e saiu.
- Ela disse isso mesmo? - Lucy disse quase sem voz.
- Parece que alguém aqui esta com ciúmes - Eu disse a olhando e provocando.
- Cala a boca Demetria, vem, vamos acabar logo com isso. - Ela se levantou e me puxou junto com ela para irmos ao auditório.


 - Ai meu Deus! Ta vendo Demi, ta ve…
- Shiu Luce - Joe cochichou tampando a boca de Luce - Quer estragar tudo é?
Ela se encolheu atras da cadeira fazendo um bico fofo.
- Ta fazendo o que aqui Joe?
- Eu vim falar com Nick e encontrei Ian, que me disse tudo. E claro que eu não ia perder isso né.
- Já aconteceu? - Ian apareceu do nada me assustando.
- Ainda não. 

Ficamos atrás daquelas cadeiras vendo Miley e Nick conversando. O que pareceu uma eternidade.
Ouvimos de longe mais dois sinais batendo, mas nem ligamos.
Foi ai então, que eles pararam de falar.
Nick abaixou a cabeça e Miley pareceu desistir.


MILEY POV'S

Depois do que pareciam décadas, Nick finalmente apareceu ali e logo eu comecei a falar sem parar.
Eu não podia perder ele de novo.
Escutei o sinal de duas aulas passando mas eu continuei ali, o que provavelmente me faria pegar detenção depois.


- Miley - Nick disse calmamente - Não vai dar certo, nossa idade...
Eu o interrompi
- Sempre teve essa diferença, Nick.
- Mas agora eu sou professor, não vai dar certo - Ele abaixou a cabeça ameaçando sair.
Eu não deixaria ele sair.
- Nick, espera! - Eu o segurei pelo braço para não o deixar ir coloquei minha mão em sua nuca.
Nossos lábios finalmente se encontraram. Mas ele não retribuiu.
- Vamos lá Nick, vamos lá. - Era tudo o que passava em minha cabeça.
E então finalmente eu senti aquelas mão quentes por minhas costas.

- Isso! - Eu ouvi a voz de Demi gritar de algum lugar.
Nick separou o beijo para procurar e eu olhei também.
Demi estava atrás de uma das cadeiras das arquibancadas, e logo que ela viu que nós a olhamos, ela tampou a boca com a mão e alguém a puxou para baixo.
- Ela tava ali o tempo todo?
Eu provavelmente ficaria brava por Demi estar me espionando, mas eu não conseguiria agora. Ou pelo resto da semana.
- Eu já vou indo… Na verdade é melhor você ir, tenho a próxima aula. - Ele disse com um meio sorriso.
- Ok - Eu fui para lhe dar o beijo de despedida mas ele se virou.
- Tchau - Eu me despedi mas ele não escutou.


DEMI POV'S

Depois de sairmos daquele auditório comemorando que Miley e Nick ficarem juntos, fomos matar o resto da última aula e Joe veio conosco.

- Nós deveríamos os chamar de Niley! - Lucy disse meio saltitante indo até uma arvore.

Fui a acompanhar até a arvore, mas como sou a pessoa mais equilibrada que vocês irão conhecer, acabei tropeçando em meu próprio pé, e graças a Joe, não acabei de cara no chão.
- Valeu - eu disse tentando me recuperar do quase tombo.
- Mais cuidado Demetria.
Foi então que quando eu fui  lhe dar uma bronca por me chamar de Demetria, nossos olhos se cruzaram e aquela sensação de já ter vivido aquilo voltou.
Senti tudo ficar preto por alguns segundos e logo várias imagens começaram a passar por minha cabeça. Imagens de um lugar que eu não conhecia, com pessoas que eu não conhecia e o rosto de um homem olhando fixamente para meus olhos enquanto me segurava pelos braços.

- Se beijem logo! - Ian gritou da árvore.
O preto voltou e rapidamente se foi, o que me deu a visão de Joe com uma cara meio confusa como a minha. E ele estava bem próximo.
- Vamos? - Ele pigarreou se afastando de mim.
Eu dei um sorriso torto e fui em direção a árvore onde ficamos conversando até o sinal bater.
E claro com a chata da Lucy me dando olhares travessos por causa do Joe.

Quando finalmente cheguei em meu quarto, tirei minha roupa ficando apenas de roupa íntima e me joguei na cama.
- Demi, eu… Uou - Lucy entrou no meu quarto sem bater.
- Bate na porta primeiro né - Eu disse me cobrindo com minha coberta, apenas por puro reflexo.
Ela riu.
- Sério, Demi, você podi a me doar um pouco dessa bunda, você tem demais - Ela disse com as sobrancelhas levantadas.
- Ta, Lucy, vá sonhando.
- Que foi em? sou eu que estou de tpm aqui, mas que seja, ta rolando alguma coisa entre você e Joe? Porque se tiver e eu não tiver sabendo.
- Não ta acontecendo nada, eu já te disse, foi só… Uma coisa estranha que aconteceu.
- Que coisa? - Ela cruzou as pernas parecendo interessada.
- Não sei direito, quando ele me segurou e olhou em meus olhos uma imagens estranhas passaram na minha cabeça, parecia que eu já tinha vivido aquilo, e um homem que estava olhando em meus olhos, era como se fosse Joe, só que não era.
- Tipo um Déjá vu?
- Sim, só que eu não conhecia as pessoa nem o lugar, e nossas roupas eram diferentes, tipo aqueles que nossos pais usavam, sabe?
Ela parou um pouco para pensar.
- Sabe, uma vez eu vi em um programa na tv sobre vidas passadas, e quando duas pessoas de vidas passadas se encontravam, elas tinham uma sensação estranha. Seria estranho, imagina? 

Fiquei pensando nisso por um tempo. Vidas passadas, que coisa mais idiota, isso não existe, certo?
As pessoas morrer e acabou, não é?






Yay! saiu o post, finalmete (:

então comentem se gostarem, ou se não gostarem também. k

           Bia :3